Página inicial Qualidade de Vida Disfunção Erétil

Disfunção Erétil

Entenda melhor os motivos pelos quais a Disfunção Erétil passou a ser encarada com outros olhos ao ser definitivamente considerada um problema de saúde que pode ser tratado com eficiência e devolver o prazer a muitos homens e mulheres.

Disfunção Erétil - Neo Química

Popularmente conhecida como impotência sexual, a disfunção erétil nada mais é que a dificuldade de conseguir uma ereção ou mesmo mantê-la por tempo suficiente durante uma relação sexual. Todo homem, eventualmente, pode não conseguir ter uma ereção adequada durante a relação, sem que isso signifique um problema de impotência sexual. Estresse, cansaço e problemas psicológicos geralmente podem ser a causa dessas "falhas" eventuais.

Não conseguir sucesso em uma ou outra relação pode ser explicado por motivos muitas vezes banais. No entanto, quando a dificuldade de ereção passa a ser um problema que se repete constantemente, talvez seja a hora de pensar em procurar ajuda médica para ver se há algo fora de seu controle que possa ser resolvido.

A disfunção erétil pode depender apenas de fatores psicológicos, ser decorrente de um problema do próprio organismo ou ainda uma combinação das duas causas. Seja qual for a causa, ocorre sempre um desencontro entre a contração e o relaxamento dos músculos que se encontram no interior do pênis e que permitem a entrada e saída de maior quantidade de sangue durante a ereção.

A diminuição da produção do hormônio masculino (testosterona) é uma das principais causas de impotência sexual. Outros problemas, porém, como o diabetes, a hipertensão arterial e a aterosclerose podem reduzir a chegada de sangue ao pênis ou impedir sua estimulação nervosa.

Após os 40 anos, alguns riscos sabidamente aumentam, como o de diabetes, hipertensão e aumento do colesterol. Estudos realizados em diabéticos, por exemplo, mostraram uma presença três vezes maior de disfunção erétil. A hipertensão arterial, juntamente com níveis elevados de LDL-colesterol e triglicérides, aumentam as chances de aterosclerose e, consequentemente, da disfunção erétil. Isto é tão importante que, muitas vezes, a dificuldade de ereção pode ser uma dica para que se investigue um possível entupimento das artérias coronárias.

Antes de qualquer decisão, é preciso uma avaliação médica cuidadosa para encontrar a causa exata da disfunção erétil. Portanto, não adianta sair por aí comprando o primeiro remédio que aparecer, antes de um urologista dar o diagnóstico e determinar a melhor forma de tratamento. Existem casos em que o uso de medicamentos associado a um tratamento psicológico surte excelentes resultados.

Fonte: Dr. Marcello Pedreira CRM 65377
Editora Veritas Comunicação Médica